terça-feira, 23 de março de 2010

Giro no Pedal - Solarenga Manhã


E foi de facto uma agradável manhã de domingo, com o sol a aquecer o nariz de quem espreitou o tempo à janela pelas 08h15. Brincávamos no rescaldo anterior que tínhamos ido buscar o bom tempo a Aguiar da Beira, e o facto é que desde então, está S. Pedro a ajudar-nos nas nossas saídas. Esperemos que tamanha bondade não finde no imediato.


A caminho do cafézinho da manhã o trânsito era escasso, vislumbrei alguns companheiros do vício que seguiam para o mesmo hábito matinal.
Café tomado na companhia do Filipe, o Miguel, e outros dois  atletas que esporádicamente se juntam ao Team para pedalar o Edmundo e o João. Este domingo muitos companheiros não conseguiram estar presentes e todos fizeram falta.

O trajecto desta vez não estava traçado e decidiu-se minutos antes de sairmos. Ligar as eólicas da Qta. do Zâmbito com as de Gonçalo!

Saímos em direcção ao Feira-Nova, Carapito de S. Salvador. Levávamos uma pedalada lenta mas regular, e dava para aproveitar para conversar os assuntos da actualidade. Até que começámos a aquecer... mais pelo Sol que pelo pedal, depressa os casacos se enrolaram ao quadros das bikes.
E assim fomos subindo até às eólicas. No ponto alto, parámos para mais umas fotos. Começámos a descer apanhando logo grande velocidade, os novos pedais de encaixe facilitam os saltos para ultrapassar alguns obstáculos. A zona é de pedra solta, areia e lages compridas.
À minha frente seguiam todos mas era Miguel o mais próximo, rolava depressa. Até que de repente um salto em curva se tornou numa arrepiante queda.
A roda dianteira da Specialized  resvalou ao aterrar, torceu-se a direção e Miguel sai disparado para a frente da bicicleta arrastando o corpo pelo chão. Parou junto a um tufo de giestas.


Acorri imediatamente em socorro, afastei a bicicleta e ajudei-o a levantar-se já com o Filipe também por perto. Combalido e algo zonzo da forte pancada, aconselhámos que se sentasse depois de termos verificado se os ossos estavam todos no sítio.
Alguns minutos de restauro e acabou por se mostrar com vontade de continuar o passeio. Apenas uns arranhões e cortes no equipamento, mas nada de grave, felizmente. Agradecido ficou ele ao capacete que o salvou de uma pancada desprotegida na lage rija.
É uma regra básica que nunca deve ser descurada, o capacete deve ser equipamento de protecção obrigatório para todos os Btt'istas!


Daí para a frente seguimos (apenas os 3) fazendo o percurso da Invernal em sentido contrário: Cubo, Maçainhas onde bebemos mais uns Cai-Bem com um  amigo do pedal pertencente aos Bttroop - o Davide,  que acabou por nos acompanhar pela barragem, subir a Vale de Estrela, e regressando ao centro da Cidade da Guarda  pela N18. Foi assim mais uma volta domingueira.



Próximo domingo há mais!
Até lá, boas pedaladas...

2 comentários:

Bruno disse...

GRAÇAS A DEUS.....não rompeste o casaco do TEAM!!!!!!!!!

Ao menos isso..... os cromados é o menos!

Coelho disse...

Eu não relatei, mas quando me certifiquei que o casaco apenas tinha alguma terra e sujidade, perguntei ao Miguel:
-" Olha lá, estás bem?"