segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Rescaldo: Invernal de BTT Cidade da Guarda 2010








Por : Vítor Gonçalves
ACTUALIZAÇÃO:
classificações 
-» 1/2 Maratona: http://www.montanhismo-guarda.pt/invernalbtt/classificacao-meia-2010.pdf
-» Maratona :  http://www.montanhismo-guarda.pt/invernalbtt/classificacao-maratona-2010.pdf


Mais um ano. Mais uma Invernal. E porque a prova está associada a uma estação do ano, estação essa ligada ao frio da Guarda, convém iniciarmos o rescaldo (nome que de todo não se aplica ao frio…) por uma pequena descrição meteorológica. O dia começava muito frio, cerca de 2 graus negativos, mas com céu limpo e com uma grande geada nas terras baixas. Aquilo a que nós chamamos um frio seco, daqueles que enrijece os ossos. Graças ao sol a temperatura foi ficando cada vez mais amena (5 graus positivos). Enfim, um dia bonito, que comparativamente com as edições anteriores, mais parecia um dia de Verão.


Adiante que se faz tarde. O café da manhã foi combinado no centro da cidade pelas 08h20. Alguns chegaram ainda com as bikes confortavelmente instaladas nos carros (para poupar o material…) enquanto outros quando chegaram à pastelaria já com o aquecimento feito. Compareceram à chamada Bruno, Coelho, Filipe, Manuel, Miguel, Patrícia e Vitor. 



Apareceu ainda o companheiro David para tomar um café e dar força ao team. Café tomado e com a táctica combinada, partimos para o Estádio Municipal onde às 09h00 se daria a partida.



Com um pequeno atraso de 10 minutos, ainda cheios de frio, mas com uma grande vontade, lá partimos para a meia maratona. Dada a voltinha da praxe pela cidade finalmente lá entramos nos trilhos para descermos em direcção ao vale do Mondego. Nos primeiros quilómetros, com o congestionamento de bicicletas, a preocupação era seguir em filinha indiana, sempre com a inquietação de não atropelar nem ser atropelado por ninguém. As paragens em descida eram constantes. O Team, dada a dificuldade, viu-se obrigado a diluir-se no pelotão.



Frio nas mãos. Frio nos pés. Raio da descida que nunca mais acabava! Chegados ao vale do Mondego foi tempo de começar a aquecer um pouco as pernas. Rodámos um pouco em terrenos direitos junto ao rio. Aqui já dava para começara a apreciar a envolvente. Um bonito local para passear. Foi numa desses caminhos que Coelho furou. Acompanhado do Manuel , quando cheguei ao local, já o Coelho e o Miguel tinham a roda desmontada. Resolvido o problema lá chegámos ao reforço em Sobral da Serra onde nos aguardava a Patrícia. Que bem que soube aquele cházito.



Saímos de em direcção ao grande empeno. Era a temível subida do Sobral da Serra. Aos poucos o Team foi-se espalhando pela subida (de forma a controlar todos os movimentos…) com o Manuel a comandar o (nosso) pelotão. Fez uma grande subida. Nós tivemos de suportar toda a subida a pé. Teve de ser. Um problema nos desviadores.

 




Resolvidos os problemas nos desviadores, comum a todos os btt’istas, lá se via o pessoal a montar novamente as bicicletas e a começar a pedalar em direcção ao parque éolico já com a Guarda à vista. Uma subida fantástica. Grande percurso.


Chegados aos bombeiros, e não sei porque motivo razoável, a organização optou por um percurso onde era necessário circular pelas valetas da VICEG. Escusado.




Cortada a meta, com um sorriso nos lábios, foi tempo de nos dirigirmos uma tasca e começar por repor os líquidos com uns cai bens. Depois do banho, cada um em sua casa, seguimos para o almoço na cantina do politécnico. 




    


Já com a barriga mais composta foi tempo de ir ao auditório da Câmara Municipal ver os campeões receber os prémios e ao sorteio dos brindes. Parabéns aos campeões.


Parabéns ao Clube de Montanhismo da Guarda por conseguir, mais uma vez, fazer d' "A Invernal" uma das provas míticas do circuito de maratonas de btt. Para o ano lá estaremos. E pagarei a inscrição com todo o gosto.
Mais um domingo bem passado. Um domingo de invernal. Cansados mas contentes.
Quanto à neve, veio um dia atrasada…








domingo, 28 de novembro de 2010

Varreram os Top's! - Roberto Carlos

Em dia de Invernal , foram muitos os calhambeques que povoaram os trilhos egitâneenses...
Roberto Carlos Braga (Cachoeiro de Itapemirim, 19 de abril de 1941) é um cantor e compositor brasileiro, sendo um dos principais representantes daMPB e o artista de língua não-inglesa que mais vendeu discos no mundo, com mais de 120 milhões de cópias comercializadas.
É um dos mais populares e reconhecidos ícones da música brasileira no mundo, sendo denominado no Brasil e na América Latina como O Rei (The King). Em 2010, durante premiação no Radio City Music Hall, em Nova York, o então presidente da Sony Music, Richard Sanders, intitulou-o Rei da Música Latina.
Foi o criador do famoso "Calhambeque". Recordamo-lo na versão original.



sexta-feira, 26 de novembro de 2010

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Rescaldo - II Maratona BTT Cidade Falcão - Pinhel



Por: Filipe Jerónimo



No domingo realizou-se a 2ª maratona da cidade de Pinhel na qual já tínhamos participado na primeira edição.
O café estava combinado para as 8 horas no forninho da estação, onde só apareceu o Filipe, o Miguel e a Patrícia o Helder foi buscar o nosso colega Bruno e já não teve tempo de tomar café, Vítor e Manuel juntaram-se a nós já em Pinhel e o Carlos não compareceu devido a problemas físicos...





Num domingo cinzento em que a chuva ameaçava aparecer a qualquer momento lá fomos nós em direcção a Pinhel para mais um passeio, chegados ao local fomos fazer o habitual: levantar dorsais, preparar as bicicletas para o passeio, logo aí começou a haver problemas: o travão de trás da bicicleta do Coelho teimava em não travar, valeu a ajuda do Alex que num instante resolveu o problema.







Já passava das 9h30m quando se deu o início do passeio, começando por uma breve passagem pelas ruas de Pinhel, onde alguns dos participantes se enganaram indo ter a uma rua sem saída, mas lá seguimos. Passados alguns quilómetros começa o derradeiro sacrifício, uma enorme subida que fez muita gente subir a pé, mas ainda mal imaginávamos o que estaria para vir.







Com o team todo junto e bem disposto la continuamos o passeio onde a seguir tivemos que descer uma enorme calçada  bem perigosa, mas logo a seguir voltava o martírio mais uma enorme subida onde muitos dos participantes já subiam empurrando as suas bicicletas. Passado este obstáculo chegamos a primeira povoação onde havia um reforço liquido ( agua e umas minis) que alguns beberam com muito gosto, pois o esforço para chegar ate ali já tinha sido bastante.




Depois de uma pequena pausa e de termos bebido la arrancamos para continuar o passeio,a barriga já começava a dar horas mas o reforço já era perto e foi um instante ate chegar la.
Chegados ao reforço, comemos umas sandes,uns bolitos, e alguma fruta e íamos fazendo uma pequena verificação às bicicletas para ver se estava tudo em ordem,o sol teimava em não aparecer mas alguns membros já vinham com o calor devido ao esforço feito para chegar ate ali e decidiram deixar os casacos  no carro vassoura que por ali apareceu.






De barriga cheia e das pernas um pouco descansadas la arrancamos para completar o resto do passeio que ainda faltava, com grande expectativa, pois a senhora que estava a servir o reforço dizia que o resto do percurso era difícil e que tínhamos que subir muito o condutor do carro vassoura dizia que não, que era fácil e era tudo a direito e que tinha poucas subidas, nada melhor do que irmos ver, e assim foi la arrancamos trilho fora com grande vontade, a descoberta do resto do passeio que veio a revelar-se ainda um pouco duro mas que se fez da melhor forma sem qualquer problema para os membros do team.
















Chegados ao final do passeio arrumámos as bicicletas nos respectivos carros e preparámos os sacos da roupa para irmos tomar o merecido banho quando Miguel se deparou com um problema algo grave, não tinha as chaves da sua viatura, ficaram no bolso do casaco que deixara no carro vassoura e que ainda estava demorada, este pequeno contratempo valeu-nos uma espera ate a carrinha chegar e um banho de agua semi-fria. Passado esse contratempo lá fomos nós para a sede do E.M. Falcão para o merecido almoço.






Acabado o almoço fomos tomar café com alguns colegas do pedal e onde fomos falando das peripécias que nos aconteceram durante a manhã. Tomado o café fomos todos para casa descansar, pois ninguém aceitou o convite do Vítor para uma sessão de minis na Castanheira.